Depilação íntima: mitos e verdades

Da Redação, em 03/06/2011
 

Um dos maiores mitos sobre depilação íntima é que ela deve ser feita apenas por questão estética. Não mesmo. Segundo o Guia Prático de Condutas: Higiene Genital Feminina, lançado pela Febrasgo* (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), o excesso de pelos na região íntima pode contribuir para o acúmulo de resíduos e secreções, atraindo fungos e bactérias que podem causar corrimento, mau cheiro, ardor ou vermelhidão. “Por outro lado, não é bom remover completamente os pelos da virilha, do monte pubiano, dos grandes lábios e da região anal, já que eles também protegem contra as infecções”, avisa a ginecologista Cláudia Barquinha, da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro. De acordo com ela, o ideal é que os pelos sejam aparados até a altura de um centímetro e a cada 15 dias, em média. 

Cada caso, um método

Segundo a médica, a pele da região íntima é mais delicada em comparação à de outras partes do corpo e, por isso, é preciso ter cuidado na escolha da técnica de depilação. “Ela deve atender à necessidade de cada mulher, porém sem agredir a pele”, diz Cláudia Barquinha. 

Regra geral, a cera quente pode deixar a região com manchas escuras se estiver numa temperatura muito alta; a lâmina é prática, mas existe a possibilidade de cortar a pele e causar inchaço, o que acaba entupindo o poro e encravando o pelo; o creme depilatório funciona bem para quem deseja fugir da dor, porém, antes de aplicá-lo, é necessário fazer o teste em outras áreas do corpo, como o antebraço, por exemplo, para comprovar se você é ou não alérgica a algum dos ingredientes da fórmula do produto. 

Cuidados pós-depilação

Após 24 horas da remoção dos pelos, os poros ainda estarão mais abertos do que o normal e, portanto, suscetíveis a reações alérgicas e irritações. Por isso, durante esse período, siga à risca as recomendações da ginecologista Cláudia Barquinha:

- Evite os sabonetes tradicionais perfumados Eles são compostos por substâncias que aumentam o risco de alergias. O melhor é usar sabonete líquido de higiene íntima, que foi elaborado especialmente para remover o excesso de secreção e a sujeira da região e mantê-la com o pH saudável. Além disso, não agride a camada protetora da pele, o que diminui os riscos de alergia e irritação. 

- Invista em compressas calmantes Chá de camomila gelado, água boricada ou termal ajudam a acalmar a pele, evitando o aparecimento de foliculites (pelos encravados), ressecamento e irritação. 

*Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). Guia prático de condutas: higiene genital feminina. São Paulo: FEBRASGO; 2009. 28 p.

Para saber mais acesse: www.higieneintima.com.br 
 
 
X

A Sanofi não controla o conteúdo publicado neste website ou banco de dados. O uso e acesso a essas informações estão sujeitos aos termos, limitações e condições definidas pelo autor do site ou banco de dados.

Deseja prosseguir?

OK Voltar ao Atmosfera Feminina Acessar o site escolhido