Insônia - Dra. Andrea Bacelar

Veja as respostas às perguntas sobre insônia feitas à Dra. Andrea Bacelar.
  • Clique sobre a pergunta para visualizar a resposta:
  • 1 - Tenho insônia desde criança e principalmente quando estou ansiosa. O que devo fazer para melhorar o meu sono?

    Existem vários tipos de insônia. A insônia chamada idiopática ocorre desde a infância e acredita-se que há um caráter familiar. A psicofisiológica é a insônia aprendida em que o grau de alerta é maior do que da população normal dificultando um sono reparador. Também temos a insônia relacionada a transtornos mentais e a ansiedade é um dos fatores responsáveis pela dificuldade em iniciar o sono. Existem regras básicas para uma boa higiene do sono. Caso não funcione procure um especialista. 1. Manter o quarto arejado durante o dia. À noite, porém, escureça-o bastante. Faça de seu ambiente de sono um lugar realmente bom. Sem ruídos durante a noite. Conserve o quarto limpo e com temperatura adequada: no verão, refresque-o; no inverno, aqueça-o. 2. Evite ingerir álcool ou cafeína nas horas próximas de iniciar o sono. À noite, não tome bebidas cafeinadas ou alcoólicas. Além de evitar café e chá preto, fique longe de refrigerantes. Prefira sempre suco e água. 3. O uso constante de tranqüilizantes é das armadilhas mais detestáveis para se conseguir um bom sono regular. Evite soníferos de controle de venda nas farmácias. Os ansiolíticos, tranqüilizantes e soníferos podem criar hábitos indesejáveis para a conciliação do sono regular. 4. Antes de ir para a cama só faça refeições leves. 5. Evite exercícios físicos nas horas próximas de ir para cama. Mas não renuncie aos exercícios pela manhã ou durante o dia. Fazer caminhadas e cooper sob orientação médica, nadar, andar de bicicleta e aderir à musculação em academias são práticas das mais saudáveis e ajudam na arquitetura do sono correto. 6. Estabeleça horários regulares para dormir e acordar. A noite existe para o descanso e o sono completo. O dia é próprio para as atividades do trabalho, do estudo e do lazer. Respeite seu ritmo biológico. Assim, não se deve cochilar durante o dia. A menos que se trate de criança ou idoso. 7. Preste atenção em atividades negativas ao bom sono porque estimulam o estado de alerta. Portanto, evite usar, duas horas antes de dormir, computadores e Internet. Para alguns, TV e leitura podem ajudar na indução do sono. É preciso saber o que é melhor para cada um. 8. Banho relaxante ajuda a dormir, massagem leve, quem sabe seguida de meditação, respiração sob controle e posições de relaxamento são sempre muito bem vindo quando a noite chega e você se propõe a afastar preocupações e estresses. Caso os pensamentos e preocupações com compromissos apareçam, anote-os num caderninho de cabeceira. 9. Nunca se alimente,trabalhe, leia ou estude na cama. Cama foi feita para dormir e para atividade sexual. 10. Finalmente, vá para a cama somente quando estiver com sono. Mas deixe a cama caso não consiga dormir logo. E retome atividades relaxantes em ambientes com pouca luminosidade até ter sono novamente. Controlar as horas no relógio ao se deitar também é ruim, pois aumenta a ansiedade.

  • 2 - Entrei no climatério precocemente e já há dois anos venho tendo distúrbios do sono. Os médicos que me acompanham já tentaram desde calmantes naturais a sedativos, mesmo assim, continuo com dificuldades para dormir. Muita agitação durante a noite, cansaço, dores pelo corpo (o que me deixa sem posição), etc. O que preciso fazer para tentar melhorar este quadro?

    Primeiro precisamos fazer seu diagnóstico. A falta do hormônio sexual feminino realmente é um fator que pode modificar o sono para pior. Alguns distúrbios respiratórios do sono somente aparecem após a menopausa como ronco e apnéia do sono. Pelos seus sintomas também não podemos deixar de pensar na Síndrome das Pernas Inquietas e na Fibromialgia, 8 vezes mais freqüente na mulher que no homem. A polissonografia é um exame que consegue afastar e/ou confirmar estas hipóteses diagnósticas.

  • 3 - Não consigo ter um sono profundo e recuperador, acordo de 2 em 2 horas, e levanto cansada, o que fazer?

    Estamos diante de um sono fragmentado que provavelmente não está completando os ciclos com os percentuais de sono superficial, profundo e sono REM adequados para um sono que o prepare para um dia produtivo. Acho que a saída é realizar uma polissonografia para definirmos o que está lhe acordando no meio da noite e aí sim tratar a causa.

  • 4 - Pessoas que tratam depressão com Fluoxetina podem ter insônia, decorrente do uso do medicamento?

    Sim. A fluoxetina é num antidepressivo que aumenta o alerta e dificulta o início do sono, assim pode fragmentá-lo e diminui a quantidade de sono REM. Deve ser administrado pela manhã e se mesmo assim interferir no sono da noite deve ser substituído.

  • 5 - O uso de anticoncepcional pode prejudicar o sono? Descobri que sofro de insônia de manutenção, pego rápido no sono, mas acordo incontáveis vezes durante a noite, o que causa cansaço, irritabilidade, desânimo, entre outras coisas. Porém, faz 3 meses que decidi por conta própria parar o anticoncepcional e percebi uma melhora considerável na qualidade do meu sono. Qual a relação do anticoncepcional com a insônia? Existe uma saída que não seja parar de fazer uso dele para dormir melhor?

    Há poucos estudos investigando efeito de contraceptivos orais em mulheres saudáveis fora da menopausa. Sabe-se que há inúmeros benefícios no sono das mulheres no climatério. Por outro lado sabe-se do maior risco de enxaquecas, tumores, AVC, tromboses que estas medicações oferecem. Quando, por outro lado, há depressão associada, há diminuição do sono profundo e uma latência para o sono REM mais precoce.

  • 6 - A TPM causa insônia? Percebo que 15 dias antes de menstruar fico com o sono atribulado e inquieto, acordo com olheiras. É normal?

    Cinco % das mulheres podem ter como sintoma da disforia pré-menstrual uma insônia transitória. Nestes casos há hipnóticos seletivos para uso esporádico.

  • 7 - Tenho muita insônia e no dia seguinte acordo com: cansaço, falta de concentração, esquecimento, irritabilidade, dor de cabeça, entre outros; quero saber se é por causa da insônia, ou porque já estou em fase de climatério? um abraço e muito obrigada.

    Todos estes sintomas que você descreve estão relacionados a uma noite mal dormida. Quando o sono não é reparador estas queixas são freqüentes. A insônia gera tudo isto, entretanto muitas mulheres somente passam a ter insônia no climatério. Caso estes sintomas somente tenham começado a ocorrer nesta fase da sua vida pode-se atribuir a uma insônia relacionada a menopausa.

  • 8 - De tempos em tempos tenho insônia, e às vezes, passo uma semana sem conseguir dormir. Se, por alguma razão não durmo uma noite, daí na segunda não consigo dormir por medo de não dormir e ficar muito cansada no dia seguinte, e assim continua. O que fazer para quebrar essa rotina? Por que quando não se consegue dormir dá vontade de urinar de meia em meia hora mais ou menos durante a noite? Parece que os rins trabalham incansavelmente, mesmo sem eu ter ingerido líquido à noite.

    Considera-se insônia aguda ou transitória, aquela que acontece pelo menos 3 vezes por semana por um período menor que 1 mês. Os fatores desencadeantes são os mais diversos (financeiros, sociais, profissionais, familiares, saúde...). Nestes momentos vale a pena já lançar mão das dicas para uma boa higiene de sono e, caso não resolva, hipnóticos não benzodiazepínicos podem ser usados esporadicamente. Quando não dormimos os diversos sistemas não relaxam e não se preparam para um novo dia. O que nos chama a atenção é urinar, ter fome, dores pelo corpo... porém, nossa pressão arterial que deveria diminuir não diminuiu, a freqüência cardíaca idem, a atividade elétrica cerebral, a peristalse, a freqüência respiratória...ou seja, nenhum órgão descansa.

  • 9 - Gostaria de saber o que posso fazer para dormir, pois tenho muita dificuldade, demoro horas na cama e o sono não vem. Já tomei até remédios para dormir, mas não deu resultado. O que fazer?

    Dicas da pergunta número 1, caso não resolva é necessário uma consulta com especialista, pois temos que individualizar cada caso

  • 10 - Estou passando por um momento de nervoso, problemas emocionais e por conta disso surgiram várias bolinhas no rosto como espinha e não estou conseguindo dormir. Levanto mais cansada do que fui deitar, não consigo me concentrar na faculdade, nem trabalho. Tem algum tratamento que posso fazer para dormir melhor?

    Temos que saber se é somente uma insônia transitória com menos que 1 mês de evolução ou se há em associação humor deprimido com outros sintoma como, vontade de se isolar, desinteresse, falta de atenção, mudança de apetite, falta de prazer. Neste caso estamos diante de um quadro de depressão e o tratamento deve ser medicamentoso.

  • 11 - Trabalho o dia todo e faço faculdade à noite, na aula estou muito cansada, às vezes, fico piscando de tanto sono, mais quando chego em casa, assisto alguma coisa e vou para a cama, porém só consigo dormir lá por umas 3 ou 4 horas da madrugada (esse tempo fico ouvindo música). Aí acordo às 7 horas, morrendo de sono. Se eu pudesse, dormiria durante o dia e ficava acordada à noite. O que acontece?

    São duas as hipóteses. Ou estamos diante de um distúrbio do ritmo circadiano chamado Síndrome do atraso de fase em que não há problema com a qualidade do seu sono, porém você está fora do fuso horário do Brasil, se pudesse dormiria de madrugada e acordaria ao meio-dia completamente disposta. A outra hipótese é a privação do sono voluntária em que não está indo dormir no seu horário biológico e se forçando ficar acordada em sala de aula até que o cérebro entra na chamada zona proibida, ou seja, passou a hora que meu cérebro estava se programando para dormir. A vontade de dormir só vem bem mais tarde e ao despertar pela manhã não dormi o tempo suficiente.

  • 12 - Meu namorado, quase todos os dias, acorda dizendo que não dormiu nada e que está com sono e muito cansado. Ele dorme, mas tem o sono muito agitado e, por isso, parece que não consegue descansar, além de ter o sono muito leve. Quando dormimos abraçados, sei quando pegou no sono porque ele começa a apresentar uma espécie de tique nervoso, impulsos involuntários nas mãos e na cabeça. É como se ele estivesse querendo me apertar ou fazer algum movimento com a cabeça. Além disso, outro dia, fiquei observando seus olhos enquanto dormia e percebi que se mexem tanto que consigo ver. Bom, gostaria de saber se esses sintomas são normais ou se ele precisa procurar ajuda médica. Nesse caso, qual seria a especialidade?

    Os distúrbios do movimento sono relacionados são vários. Quando eles ocorrem e geram a sensação de um sono não reparador é hora de procurar um especialista em sono. As parassonias (sonambulismos, sentar na cama, falar..) são benignas porém muitas vezes elas mimetizam problemas mais sérios com a epilepsia que pode se manifestar durante o sono com abalos, abertura de olhos, tremores localizados. Para se fazer o diagnóstico diferencial é necessário uma polissonografia com mais canais para ver o eletroencefalograma com vídeomonitorização. Quanto a estes movimentos quando iniciamos o sono, chamam-se sleep starts e são normais, assim como o movimento dos olhos chamado REM- rapid eye moviment que determina que estamos numa fase específica do sono em que o corpo está relaxado e o cérebro está trabalhando pois é o momento do sonho.

  • 13 - Gostaria de saber quais são as causas da insônia, pois tenho passado por isso. Não tenho tido outros problemas, somente deito pra dormir e acordo no meio da noite e não durmo mais. O que pode ser?

    Insônia é um sintoma que pode ser definido como dificuldade em iniciar e/ou manter o sono, presença de sono não reparador, ou seja, insuficiente para manter uma boa qualidade de alerta e bem-estar físico e mental durante o dia, com o comprometimento conseqüente do desempenho nas atividades diurnas. Pode ser inicial, intermediária ou terminal, também chamada despertar precoce que é o seu caso. Este tipo de insônia está muito relacionada a depressão. Hoje pela Classificação Internacional dos Distúrbios do Sono 2005 as insônias são classificadas como: - Insônia aguda – menor que 1 mês (adjustment); - Insônia psicofisiológica ou insônia aprendida; - Insônia paradoxal ou percepção inadequada do sono; - Insônia idiopática ou de início na infância; - Devido a transtornos mentais; - Higiene inadequada do sono; - Insônia comportamental da criança; - Devido a drogas ou substâncias; - Devido a condições médicas.

  • 14 - Como ter um sono perfeito se tenho insônia e não posso tomar remédios controlados?

    Existem vários tipos de insônia. Existem tratamentos não farmacológicos e existe um arsenal terapêutico extenso para tratar insônia. O que temos que investigar é qual é o seu diagnóstico e o que seria melhor no seu caso.

  • 15 - Há três anos sofro com problemas de insônia, já fui ao psiquiatra no qual me prescreveu ansiolíticos, fiz uso continuo do mesmo por um ano e hoje uso em média apenas 50% da medicação. Procuro controlar minha ansiedade e nervosismo para "desmamar" do medicamento. Ficarei com o sono prejudicado para o resto da minha vida?

    Quando há um marco na nossa vida para o início da insônia, na maioria das vezes ela se comporta como um sintoma dentro de outro transtorno e não como uma doença. Portanto o médico deve tratar a causa principal que pode ser depressão, transtorno de ansiedade ou outra doença clínica/neurológica. A medicação ansiolítica não deve ter seu uso contínuo devido as sabidas dependências e tolerâncias destas drogas, porém, na medida que conseguimos retirá-las completamente o sono tende a assumir seu padrão fisiológico.

  • 16 - Quando algo que planejei não dá certo demoro horas e horas para conseguir dormir, deito às 22 horas e só consigo dormir por volta das 2 ou 3 horas da manhã, isso é normal?

    Isto é freqüente nas pessoas que são mais ansiosas e que levam os problemas, as decepções e as preocupações para a cama e ficam com pensamentos intrusos na hora de deitar dificultando o relaxamento para o início do sono.

  • 17 - Porque crianças de 5 a 7 anos têm insônia, pois tenho dois filhos e é difícil uma semana que eles não têm insônia.

    Quinze % das crianças tem insônia e precisamos individualizar cada caso. Primeiro devemos definir se realmente preenche critérios para insônia e depois saber que tipo de insônia iremos enquadrá-los. As insônias são divididas em psicofisiológica, higiene do sono inadequada, paradoxal, idiopática, por falta de limites na criança, devido a desordens mentais, devido a condições médicas, devido a uso de medicações e/ou drogas.

  • 18 - Gostaria de saber porque antes eu sonhava e me lembrava do sonho, hoje eu sonho mas quando acordo não lembro mais o que estava sonhando.

    Lembrar do sonho está diretamente vinculado a imediatamente após uma atividade onírica ter uma superficialização do sono ou um microdespertar. Por este motivo que é muito mais fácil lembrar-se do último sonho da noite Na realidade, numa única noite de sono temos de 4 a 6 ciclos de sono porém não lembramos de 4 a 6 sonhos. Quando o sono se modifica por situações externas de estresse físico ou mental ou por distúrbios próprios do sono os percentuais dos estágios do sono podem modificar, porém outras queixas também passam a ocorrem como, cansaço, sonolência diurna, humor alterado, déficit de memória...

  • 19 - No período que antecede a menstruação é comum a insônia? Como pode ser tratada?

    Trinta % das mulheres podem ter insônia no período pré-menstrual. Tenta-se inicialmente o tratamento não farmacológico onde a disciplina e o auto-controle são peças fundamentais para o êxito desta técnica. Caso não funcione poderemos utilizar medicações hipnóticas não benzodiazepínicas quando necessário, não de rotina.

  • 20 - Meu marido mal dorme três horas por dia, e tem uma disposição. Isso é normal? Ele tem 45 anos e há dois anos sofreu um infarto.

    Cinco % da população é chamada de dormidor curto. Estes indivíduos necessitam de menos de 7h de sono por dia e se sentem satisfeitos e reparados para o dia seguinte. Isto não é distúrbio de sono. O que tem que ser investigado é se há algum distúrbio de sono que possa ter colaborado para a doença coronariana.

As opiniões emitidas nesta seção são de responsabilidade exclusiva dos profissionais de saúde, não representando a opinião da sanofi-aventis. As orientações não substituem, em hipótese alguma, a avaliação e recomendação de um médico de sua confiança, o único que poderá avaliar a sua saúde e indicar a melhor conduta para você. Consulte sempre o seu médico quando o assunto for saúde, tratamento e medicação.

NÃO TOME REMÉDIOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER
EXTREMAMENTE PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

Seu nome*:
Seu e-mail*:
Destinatário*:
E-mail*:
Mensagem:
* Campos de preenchimento obrigatório

voltar

Atmosfera Feminina - Um serviço Sanofi
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5.200 - Ed. Atlanta, Jardim Morumbi - São Paulo, SP - CEP: 05693-000 SAC: 0800-703 0014 (de 2ª à 6ª feira das 9 às 17 hs)

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre seu médico para orientá-la quanto ao melhor tratamento e conduta.

Copyright © 2005-2014 Sanofi. Todos os direitos reservados. Última atualização: 19/08/2014