Alergias na pele no verão - Dr. Dirceu Solé

Veja as respostas do Dr. Dirceu Solé sobre Alergias na pele no verão.
  • Clique sobre a pergunta para visualizar a resposta:
  • 1 - O vaporizador no quarto ajuda a melhorar a respiração?

    Vaporizadores e umidificadores, apesar de fornecerem umidade e auxiliarem no funcionamento do trato respiratório, são contra-indicados nos quartos de pessoas alérgicas tendo em vista o fato de propiciarem a proliferação e o crescimento de ácaros e de fungos no ambiente.

  • 2 - Alergia de picada de inseto costuma melhorar conforme a criança vai crescendo ou ela vai ser sempre alérgica? Existe alguma vacina ou medicamento para a criança pegar ter mais resistência?

    Aqui vale um esclarecimento, a pessoa alérgica, seja adulto ou criança, não tem de forma alguma uma “resistência baixa”, como a maioria das pessoas acredita. Na verdade, o alérgico manifesta uma resposta exagerada de seu sistema de defesa contra substâncias estranhas. Assim, qualquer tratamento, seja qual for a alergia em questão nunca deve visar o “aumento da resistência” ou “aumento do poder do sistema imunológico”. O tratamento ideal é aquele que procura controlar o quadro clínico e se possível evitar novas crises. Em geral evitar o contato com aquilo que provoca alergia é passo fundamental. Além disso, existem medicamentos específicos para a melhora e o controle dos sintomas. Finalmente, em alguns casos bastante específicos, que devem ser avaliados com muita cautela e sempre por médico especialista, as vacinas podem estar indicadas. No seu caso em particular é provável que esteja se referindo a uma reação comum a insetos que chamamos estrófulo, a qual em geral não é alérgica, embora pareça. Nesse caso, é comum que os sintomas vão desaparecendo conforme a criança cresce. Contudo, até que isso ocorra é sempre importante tentar se evitar a picada do inseto e usar medicamentos adequados. No meu entender, nos casos de estrófulo não está indicada imunoterapia (vacinas). O médico especialista poderá decidir entre: a clássica alergia a picada de insetos e o estrófulo. Algumas etapas do tratamento podem ser bastante diferentes.

  • 3 - Sempre que tomo sucos cítricos ou vinho, refrigerantes, fico com a pele do rosto, braços, parecidos com um tipo de descamação. Coça muito e arde, fica vermelho e eu preciso tomar corticóides. Como posso melhorar ou curar-me desta alergia?

    Quase todos os alimentos podem provocar reações adversas, porém são pouquíssimos os que causam reações alérgicas verdadeiras. Frutas cítricas, em pessoas alérgicas ao pólen, podem ocasionar erupções cutâneas faciais ou urticárias e sensação de coceira ou formigamento na boca. Vale lembrar que a dupla “frutas cítricas e exposição ao sol” não combina, podendo ocorrer problemas desagradáveis quando esses elementos se encontram. Problemas que se caracterizam pelo surgimento na pele de manchas e até das bolhas típicas das queimaduras de segundo grau – as fitofotodermatoses Os sulfitos - substâncias naturalmente resultantes da vinificação e também largamente utilizadas na indústria, para a conservação do vinho - podem causar reações adversas, principalmente em asmáticos. Em geral aqueles que manifestam sintomas típicos de alergia após ingestão do vinho devem se abster de ingeri-lo até que sua situação fique esclarecida, principalmente quando se trata de alguém que tem crises de asma. Assim, para verificar em que situação você se encontra é muito importante a avaliação de um especialista. Só assim será possível estabelecer a melhor conduta a ser adotada em seu caso.

  • 4 - Tenho uma coceira no corpo após o banho em alguns períodos do ano. Já testei molhar o corpo sem usar sabonete; quando vou à piscina, quando suo à noite e quando estou em crise ela sempre aparece. Fico achando que não seja alergia e sim problema circulatório. Tenho isso desde criança e já vi em vários sites que tem muitas pessoas que sentem essa coceira e nenhum médico dá o diagnóstico e muito menos o tratamento. Poderia me ajudar?

    Em seu caso acho importantíssima a avaliação de médico especialista, de preferência um alergista, pois como você bem já pressentiu é possível que exista mais de uma hipótese para justificar seu quadro clínico. Veja bem, é fundamental saber, por exemplo, se a coceira aparece sozinha ou se vem acompanhada de lesões; quem começa primeiro: as lesões ou a coceira. Tudo começou na infância, mas foi sempre igual? Houve mudança na freqüência? Algo levou a melhora? Que época o período do ano em que ocorre? Enfim existe uma série de dados e de elementos que são imprescindíveis para que possamos tecer um raciocínio. Seja como for se a coceira vier acompanhada de lesões (urticas) frente aos fatores que você aponta como agravantes é possível que se trate de um caso de urticária física - colinérgica. Contudo é temerária uma opinião sem que dados mais abrangentes sejam obtidos.

  • 5 - Tenho rinite alérgica e há mais ou menos dois anos desenvolvi uma alergia na pele que surge como uma pele esbranquiçada que descama, coça e fica vermelha. O dermatologista me receitou uma pomada para passar durante 7 dias e após o uso dar uma pausa. Esse tipo de alergia não tem cura?

    A coexistência de mais do que uma doença alérgica na mesma pessoa é freqüente. Ou seja, é comum que uma pessoa com rinite alérgica tenha também asma e/ou dermatite atópica, por exemplo. Contudo, no seu caso acho que antes de qualquer coisa é preciso confirmar se o que você tem apresentado na pele, nos últimos dois anos, é de fato alergia. Lembre-se que embora as verdadeiras alergias sempre cocem, a grande verdade é que “nem tudo que coça é alergia”. Assim, qualquer posicionamento sobre evolução ou a cura de seu problema depende da reposta a duas perguntas chave: O que você tem é alergia? Se não é alergia, o que é? Seja como for vale ressaltar que apesar da alergia ser uma condição herdada geneticamente e, na maioria das vezes definitiva, existem doenças alérgicas em que pode ocorrer a resolução completa do quadro, como é o caso da alergia ao leite de vaca que se inicia na lactância (bebê) e tende a desaparecer, na maioria das vezes, por volta dos 2 a 4 anos de idade. Também é importante lembrar que mesmo não sendo possível interferir nas alterações genéticas que os pacientes alérgicos apresentam, os tratamentos disponíveis englobam medicamentos bastante específicos, com efeitos colaterais mínimos e que melhoram muito a qualidade de vida garantindo, na quase totalidade das vezes, uma vida absoluta e completamente normal.

  • 6 - Tenho uma filha de 2 anos, e no verão quando calor, fica cheia de bolinhas, o que faço pra controlar ?

    O calor e o sol são vilões para a pele, pois dentre outras coisas, favorecem o surgimento de doenças provocadas pelo excesso de transpiração como é o caso da brotoeja que sua filha manifesta. Algumas medidas gerais podem ser bastante úteis. Como aparentemente sua filha tem propensão à brotoeja ela deve evitar atividades que a façam suar. È importante manter o ambiente o mais fresco e arejado possível, principalmente no verão. Evite usar muita roupa ou roupa pesada, principalmente em dias quentes e se ela for do tipo rechonchudo. Dê preferência para roupas de algodão ou de qualquer fibra natural. È importante também controlar a ingestão de doces e alimentos gordurosos. Dê banhos rápidos, mornos ou frios, com pouco sabonete. Seque a pele delicadamente e não com esfregões vigorosos. Não aplique qualquer loção, creme ou pomada perfumada. Além dessas medidas gerais existem algumas medidas específicas que poderão ser indicadas, quando necessário, pelo médico pediatra da criança

  • 7 - Sempre que vou à praia, fico com umas manchas vermelhas na pele que coçam. Na farmácia me falaram que pode ser o sal do mar. Isso é verdade?

    Acredito que o sal do mar nada tenha a ver com isso, mas é possível que a exposição ao sol sim. Um dos problemas da exposição à radiação solar, principalmente nesta época do ano, é o surgimento de um quadro conhecido como “alergia ao sol”. Embora esse quadro esteja vinculado à crescente agressão a camada de ozônio, existe forte influência da predisposição genética e da existência de outras alergias que podem provocar diversas reações na pele. O uso de alguns remédios como, por exemplo, certos antibióticos, antifúngicos, antialérgicos e conservantes de cosméticos, podem aumentar a possibilidade de sensibilização aos raios do sol, provocando alergia. Seja como for, é imprescindível que você consulte o quanto antes um médico especialista para que ele comprove esta ou outra possibilidade diagnóstica bem como, para que possam ficar claras as causas do problema.

  • 8 - Tenho sentido um ardor no buço por alguns meses. Antes, era intercalado, sentia às vezes e passava. Mas já faz 6 dias seguidos que estou com esse ardor que não passa! O senhor pode me orientar?

    Acho que no seu caso é extremamente importante a avaliação de um médico especialista. Ele fará algumas perguntas, examinará o local e eventualmente sugerirá alguns testes específicos que serão de extrema importância para elucidação do seu quadro. Lembre-se de que a pele como um todo e, em especial a pele da face, é bastante sensível e está sujeita a uma série de agressões (calor, sol, poluição, produtos químicos etc.) que muitas vezes passam despercebidas para quem está vivenciando o problema.

  • 9 - Ultimamente percebo que surgem algumas bolinhas vermelhas pelo meu corpo. Elas não coçam e duram uma semana mais ou menos. Até se parecem com picadas de pernilongos, mas sei que não são, pois eu sou alérgica. O que será isso?

    Costumamos dizer que a pele é um órgão alvo bastante comum para uma série de manifestações que podem, ou não, ser alérgicas. Sendo alérgica você sabe que os problemas cutâneos que se relacionam com alergia, quase sempre coçam - de forma mais ou menos intensa, mas sempre coçam. Já, as chamadas “bolinhas vermelhas” embora pareçam, nem sempre são todas iguais. Daí sua colocação perfeita e pertinente: “até se parecem com picadas de pernilongos, mas sei que não são, pois eu sou alérgica”. Vale lembrar, ainda que, em épocas quentes como as que estamos vivendo em São Paulo e em outras cidades do país, problemas de pele costumam piorar muito. Assim, é fundamental a avaliação médica, com exame especialmente minucioso das lesões para conhecer suas características (forma, tamanho e localização). Também são importantes alguns questionamentos que deverão ser levantados. Você e seu médico, atuando em conjunto, com certeza chegarão a um diagnóstico que permitirá solução de seu problema.

  • 10 - Qual tratamento para alergia nos pés que no verão ficam secos e com rachaduras e cortes?

    Em primeiro lugar, é importante salientar que a presença de “pés que no verão ficam secos e com rachaduras e cortes” não é sinônimo de alergia nos pés. Pés secos com rachaduras ou cortes (fissuras) são, na verdade a conseqüência direta da falta de hidratação da pele. Seu aparecimento pode estar relacionado a alguns fatores como: defeitos ortopédicos, hereditariedade, alterações climáticas, psoríase, diabetes, problemas vasculares, obesidade, cardiopatias, micose, agressões químicas, andar descalço ou usar sandálias, dentre outros. Algumas das fissuras (rachadura) lesam a pele apenas superficialmente e outras podem até atingir tecidos profundos causando sangramento. Portanto é muito importante prevenir essas feridas, pois elas podem funcionar como “porta de entrada” para fungos e bactérias. Para evitar as rachaduras nos pés tome bastante líquido, tente não usar lixas e abuse dos cremes hidratantes, use sapatos fechados e procure um médico especialista que com certeza poderá ajudá-la em condutas mais específicas.

  • 11 - Sempre que vou à praia fico toda empipocada com bolinhas vermelhas no peito, barriga, costas e pernas na qual coçam muito. Existem alguns protetores que a pele fica mais irritada e não posso usar. Qual seria a melhor solução e que tipo de protetor posso usar, sendo que tenho a pele clara e uso protetor fator 15?

    As pessoas de pele mais clara como é o seu caso, os idosos, aqueles indivíduos que usam medicamentos com substâncias fotossensibilizantes (por exemplo: certos antifúngicos e antialérgicos), e os que têm predisposição a outras alergias apresentam probabilidade maior de apresentar reações ao sol. Existem vários tipos de filtros e bloqueadores solares no mercado. A escolha do produto adequado deve se basear na compatibilidade com a coloração de sua pele e no fator de proteção, que nunca deve ser inferior a 15. Nesse sentido, o ideal é que você consulte um médico dermatologista para certificar-se do protetor que é mais indicado para o seu caso. Lembrar que o uso não deve se restringir aos dias ensolarados. O protetor deve ser aplicado mesmo nos dia nublados e uniformemente sobre a pele para se evitar as manchas.

As opiniões emitidas nesta seção são de responsabilidade exclusiva dos profissionais de saúde, não representando a opinião da sanofi-aventis. As orientações não substituem, em hipótese alguma, a avaliação e recomendação de um médico de sua confiança, o único que poderá avaliar a sua saúde e indicar a melhor conduta para você. Consulte sempre o seu médico quando o assunto for saúde, tratamento e medicação.

NÃO TOME REMÉDIOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER
EXTREMAMENTE PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

Seu nome*:
Seu e-mail*:
Destinatário*:
E-mail*:
Mensagem:
* Campos de preenchimento obrigatório

voltar

Atmosfera Feminina - Um serviço Sanofi
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5.200 - Ed. Atlanta, Jardim Morumbi - São Paulo, SP - CEP: 05693-000 SAC: 0800-703 0014 (de 2ª à 6ª feira das 9 às 17 hs)

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre seu médico para orientá-la quanto ao melhor tratamento e conduta.

Copyright © 2005-2014 Sanofi. Todos os direitos reservados. Última atualização: 25/11/2014