Dr. Renato Kfouri saude

Bullying: educando para a tolerância

Por Dr. Renato Kfouri 07/06/2011
O bullying é definido como um conjunto de atitudes e atividades repetidas, intencionais e agressivas, com objetivo de causar sofrimento a alguém, físico e/ou emocional. É entendido como ameaça, opressão, intimidação e humilhação, quase sempre associada a maltrato. O termo deriva da palavra bully, que, em inglês, significa brigão ou valentão.

Pode acontecer em qualquer idade, porém, é na infância e na adolescência que se manifesta de forma mais importante, especialmente no convívio escolar. Ocorre também em todas as classes sociais indistintamente. Segundo a educadora Cléo Fante, é uma das formas de violência que mais cresce no mundo.

É preciso caracterizá-lo bem, e não tratar as divergências do cotidiano como práticas de bullying. Segundo Telma Vinha, doutora em Psicologia Educacional e professora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para ser considerada bullying a agressão física ou moral deve apresentar quatro características: a intenção do autor em ferir o alvo, a repetição da agressão, a presença de um público espectador e a concordância do alvo com relação à ofensa. Muitas vezes subestimado, esse ato pode trazer consequências à formação futura de quem pratica e de quem sofre.

É preciso entender o bullying 

Mas não como algo normal, uma brincadeira de criança, inocente e sem maldade. Os maus-tratos, humilhações e constrangimentos não são inócuos. Desprezá-los ou não valorizá-los não é o melhor caminho. O fato de o tema hoje estar sendo discutido no âmbito escolar e na mídia de maneira aberta certamente contribuirá para o reconhecimento e denúncia de casos, e para a tomada de medidas preventivas.
É preciso distinguir ou reconhecer o perfil do agressor: normalmente são crianças ou jovens com dificuldade em ceder, muitas vezes intransigentes e com comportamentos preconceituosos.

Já no perfil do agredido, costumamos encontrar a timidez, a baixa autoestima e o comportamento passivo como marcas de sua personalidade.

Existe hoje também o bullying virtual (ou “ciberbullying”) em que, por meio da internet e das redes sociais, as agressões são praticadas. Se não houver a intervenção do adulto na atitude do agressor, a tendência é de fortalecimento desse comportamento e a formação de um adulto intolerante.

Mas o que os pais podem fazer a respeito desse assunto? Segundo a orientadora educacional Silvana Leporace, é fato que a convivência com as diferenças promove conflitos variados, e somente utilizando estratégias respeitosas é que podemos chegar a uma solução para eles. É muitas vezes na escola que as diferenças aparecem, e é preciso aprender a conviver com elas, de forma respeitosa e tolerante.

Aliás, exercer a tolerância é uma prática muitas vezes esquecida até pelos pais, que frequentemente no seu comportamento diário, sem perceber, dão aos filhos exemplos de intolerância e preconceito.

Pais e escola devem buscar sempre uma postura construtiva, baseada no respeito ao próximo e na tolerância com as diferenças. Quem sabe assim saberemos, com a educação, preparar nossos filhos para uma convivência harmoniosa.

Renato de Ávila Kfouri é pediatra e neonatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana - Pro Matre e Diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). É colunista colaborador do site Atmosfera Feminina, portal institucional do laboratório sanofi-aventis, dedicado exclusivamente à saúde e bem-estar da mulher e sua família. 

As opiniões emitidas nesta seção são de responsabilidade exclusiva dos colunistas, não representando a opinião da sanofi-aventis. As orientações não substituem, em hipótese alguma, a avaliação e recomendação de um médico de sua confiança, o único que poderá avaliar a sua saúde e indicar a melhor conduta para você. Consulte sempre o seu médico quando o assunto for saúde, tratamento e medicação.

NÃO TOME MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER
EXTREMAMENTE PERIGOSO PARA A SUA SAÚDE.

Seu nome*:
Seu e-mail*:
Destinatário*:
E-mail*:
Mensagem:
* Campos de preenchimento obrigatório

voltar

Atmosfera Feminina - Um serviço Sanofi
Av. Major Sylvio de Magalhães Padilha, 5.200 - Ed. Atlanta, Jardim Morumbi - São Paulo, SP - CEP: 05693-000 SAC: 0800-703 0014 (de 2ª à 6ª feira das 9 às 17 hs)

Nosso conteúdo serve para seu conhecimento e informação. Em caso de dúvida, procure sempre seu médico para orientá-la quanto ao melhor tratamento e conduta.

Copyright © 2005-2014 Sanofi. Todos os direitos reservados. Última atualização: 29/10/2014